Últimas
  Absurdo // Polícia Federal inicia operação 2º turno da eleição em Teresina // Drogas contribuíram para a morte do ex-jogador Maradona // Joice Hasselmann condenada a indenizar vice Regina Sousa // Justiça nega pedido de prisão do assassino de Aretha //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
Justiça bloqueia R$ 29 milhões em bens de João Dória



O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou, na última segunda-feira (19), o bloqueio de R$ 29 milhões em bens do governador de São Paulo, João Doria (PSDB).  A decisão foi proferida pelo juiz Randolfo Ferraz de Campos, da 14ª Vara de Fazenda Pública, e foi exarada no âmbito de ação ajuizada em 2018 pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

No processo, o MP acusa Doria de usar indevidamente verbas públicas de publicidade do programa “Asfalto Novo”, durante sua gestão na prefeitura da capital paulista. As irregularidades causaram cerca de R$ 29 milhões em prejuízos aos cofres municipais, de acordo com os promotores.

Segundo o magistrado do caso, a divulgação irregular do programa “fez com o desiderato de promover-se às expensas do erário”. O programa “Asfalto Novo” iniciou ainda em 2017, no primeiro ano de Doria à frente da prefeitura. A intenção era recapear as vias da cidade de São Paulo, com um investimento total de R$ 350 milhões.

Somente em publicidade, Doria teria investido cerca de R$ 29,4 milhões entre novembro de 2017 e março de 2018. Em abril de 2018, o tucano deixou o cargo no Executivo municipal para concorrer ao governo do Estado. Com a saída, segundo o TJ-SP, “a partir de então, cessaram referidos dispêndios publicitários”.

OUTRO LADO

Em nota oficial, a defesa de João Doria questiona o motivo pelo qual a ação, que estava paralisada desde julho de 2019, foi retomada “às vésperas das eleições municipais”.

Os advogados do tucano afirmam não concordarem com “os motivos e fundamentos invocados pelo magistrado para decretar a indisponibilidade de deus bens”.

Leia a nota na íntegra:

“A ação civil pública citada encontrava-se sem movimento desde julho de 2019 e, curiosamente às vésperas das eleições municipais, foi retomada com a apreciação da liminar requerida pelo MP.

A defesa de João Doria não concorda com os motivos e fundamentos invocados pelo magistrado para decretar a indisponibilidade dos seus bens, especialmente porque Doria jamais dilapidaria o seu patrimônio para evadir-se das suas responsabilidades. A defesa recorrerá ainda  esta semana ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para reverter a decisão que tem caráter liminar.”




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 99942-2747 - (86) 3222-5832 - (86) 99520-1308, ou pelos E-mais:
vilsonsanttos@bol.com.br
nilson_1@hotmail.com