Últimas
  Candidato a vereador quer ser eleito e dividir o mandato na Câmara // Justiça bloqueia R$ 29 milhões em bens de João Dória // Ex-prefeita de Pedro II tem a sua candidatura rejeitada // Wellington Dias anuncia Lei Seca neste final de semana // Planos de saúde preparam golpe contra segurados //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
Witzel poderá fazer companhia a Sérgio Cabral na cadeia

Bolsonaro e Witzel eram aliados

Um dia depois da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) aceitar por unanimidade (69 votos a 0) a continuidade do impeachment do governador Wilson Witzel (PSC), o presidente Jair Bolsonaro falou na tarde desta 5ª feira (24.set.2020), em evento no Rio, no surgimento de uma “nova política” no Estado.

“Juntamente com a Assembleia Legislativa [do Rio] e o nosso jovem governador [interino Cláudio Castro (PSC)], vamos buscar maneiras de tirar o Rio de Janeiro da situação difícil em que se encontra. Nós somos aqui, com todo respeito aos demais, 1 Estado maravilhoso. E, se Deus quiser, brevemente, essa política será deixada para trás e uma nova política [irá] aos poucos surgindo, de modo que possamos todos nos orgulhar desse Estado maravilhoso chamado Rio de Janeiro”, afirmou Bolsonaro.

O presidente deu a declaração numa cerimônia de inauguração de estruturas e entregas de equipamentos à Superintendência da PRF (Polícia Rodoviária Federal) no Rio. O governador interino Cláudio Castro, que substitui Witzel, compareceu ao evento.

Bolsonaro e Wilson Witzel se tornaram adversários políticos depois da eleição de 2018. O governador do Rio foi eleito com apoio do filho do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente, que naquela época exercia mandato como deputado estadual no Rio.

Depois do pleito, Witzel se distanciou do presidente. Bolsonaro afirmou que Witzel, com objetivo de se candidatar à Presidência em 2022, usava a Polícia Civil do Estado para perseguir sua família.

AFASTAMENTO E TRÂMITE DO IMPEACHMENT

Witzel está afastado do cargo desde o dia 28 de agosto, por decisão do desembargador Benedito Gonçalves, do STJ (Superio Tribunal de Justiça). O governador é suspeito de desvios na Saúde. Ele foi denunciado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) junto a outas 8 pessoas –entre elas, a primeira-dama Helena Witzel.

Por causa da autorização do processo de impeachment pela Alerj, será formado 1 Tribunal Misto para julgar o caso. Esse tribunal é composto por 5 deputados estaduais e 5 desembargadores do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio).

Os deputados estaduais poderão pleitear participação no tribunal nesta 6ª feira (25.set.2020). Na próxima 3ª feira (29.set.2020) haverá eleição na Alerj para escolher os integrantes do julgamento. Em até 5 dias, serão sorteados os 5 desembargadores. O processo deve levar até 120 dias para ser concluído.

 




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 99942-2747 - (86) 3222-5832 - (86) 99520-1308, ou pelos E-mais:
vilsonsanttos@bol.com.br
nilson_1@hotmail.com