Últimas
  Como sempre, surge mais um problema no Detran-PI // Responsáveis pela explosão no Líbano estão presos // Wellington Dias e Ciro rompem acordo político para eleições 2022 // Insuportável // Promovidos da PMPI dizem que governo não paga soldo //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
 
Guedes teme que políticos subam em cadáveres



Vídeo da entrevista coletiva concedida neste sábado (16), pelo ministro da Economia Paulo Guedes sobre os 500 dias do Governo Bolsonaro mostra o momento em que ele critica a tentativa de governadores de conceder reajustes salariais e outros benefícios a servidores em meio à pandemia e diz que “a sociedade vai punir quem subir em cadáveres para fazer palanque”.

"A reconstrução de um país leva anos. Passamos um ano e meio tentando reconstruir. Quando estamos começando a decolar, somos atingidos por uma pandemia. Vamos aproveitar de um momento desse, da maior gravidade de uma crise de saúde, e vamos subir em cadáveres para fazer palanque? Vamos subir em cadáveres para arrancar recursos do governo?", questionou.

Na coletiva de imprensa, Guedes também pede ao Congresso Nacional que mantenha o veto prometido pelo presidente Jair Bolsonaro aos reajustes. “O presidente disse 'conte comigo, nós vamos fazer esse veto'. Mas o presidente não quer que veto se transforme em exploração política (com derrubada)”, disse o ministro, solicitando “colaboração” do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nessa articulação. “O importante para Brasil não é só busca por popularidade”, afirmou Guedes, acrescentando que Bolsonaro “é popular, não populista”.“O pedido que faço é que não transformem isso (veto) em ato inútil”, disse o ministro.

O projeto de socorro a Estados e municípios foi aprovado no Congresso com um aval do presidente para beneficiar o funcionalismo, principalmente da área de segurança, indo contra a orientação do ministro Guedes de garantir essa contrapartida ao socorro de R$ 125 bilhões aos Estados e municípios.


O congelamento integral garante economia de R$ 130 bilhões para União, Estados e municípios. Da forma como foi aprovado no Congresso, o texto dá alívio de apenas R$ 43 bilhões. Depois de dar o aval, porém, Bolsonaro avisou que atenderia “100%” ao pedido do ministro da Economia para vetar o dispositivo.

 




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 99942-2747 - (86) 3222-5832 - (86) 99520-1308, ou pelos E-mais:
vilsonsanttos@bol.com.br
nilson_1@hotmail.com