Últimas
  Isolacionismo Tóxico // As facetas do coronavírus e suas loucas mentiras // Paulo Guedes suspende principal indicador de desemprego // Sindilojas e CDL pedem adaptação e não demissões // Povo sai da quarentena e vai às filas nos bancos da cidade //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
 
Equatorial demite mais de 1.400 empregados



A falta de capacidade administrativa e empresarial, a única empresa de distribuição de energia elétrica do Piauí, a Equatorial Cepisa, passa por uma drástica fase de monopólio e já não tem mais condições de gerir o setor energético do Estado por vários motivos que massacram o consumidor.

Por sua vez, o Sindicato dos Urbanitários do Piauí (Sintepi) informou que a Equatorial Piauí demitiu cerca de 1.400 funcionários nos últimos meses devido ao processo de reestruturação da empresa, o que deixou vários consumidores sem energia elétrica em função do número insuficiente de funcionários.

De acordo com o Sintepi, a última demissão de funcionários ocorreu na última sexta-feira (14). Com a necessidade de manutenção da rede elétrica, a empresa não conseguiu atender a todos consumidores, e várias regiões da cidade permaneceram sem energia por mais de 24h. Segundo o Sindicato, a diretoria do Sintepi se reuniu com aproximadamente 150 trabalhadores demitidos da Equatorial.

Em nota, a Equatorial esclareceu que a maioria dos funcionários desligados da empresa apresentam pedido de desligamento espontâneo, e informa que qualquer ato de desligamento na empresa é para a reorganização da Companhia.

Confira a nota da Equatorial Piauí

"A administração da Equatorial Piauí segue totalmente comprometida com o necessário processo de reestruturação econômico-financeira em curso na empresa e este reequilíbrio passa necessariamente pela urgente adequação do quadro de pessoal a real necessidade operacional da Companhia.

Importante registrar que todo e qualquer ato de desligamento que venha a ocorrer na Equatorial Piauí, inerente ao processo da Companhia, é ato de gestão ordinária da empresa, sendo sempre praticado em respeito às normas trabalhistas vigentes.

Importante esclarecer, ainda, que a grande maioria dos colaboradores desligados da empresa apresentaram pedido de desligamento espontâneo no âmbito dos dois Programas de Demissão Voluntária (PDV’s) ofertados pela Equatorial Piauí.

Destaca-se que, além dos PDV’s, outras alternativas foram apresentadas pela Companhia para atenuar o impacto do processo de adequação do quadro de pessoal da empresa, porém elas não foram aceitas pela entidade Sindical da categoria.

Por fim, a Equatorial Piauí reitera que se manterá firme no compromisso de retomar os investimentos para melhoria do sistema elétrico do estado do Piauí, que em 2019 superou a monta de 300 milhões de reais, para oferecer uma energia cada vez melhor com transparência e responsabilidade. E os investimentos continuam em 2020. Mais de 300 milhões de reais são previstos para este ano em melhorias do sistema elétrico".

Esta nota demonstra o desequilíbrio funcional da empresa e a ganância pela exatidão financeira independente dos resultados satisfatórios os quais se comprometeu cumprir quando adquiriu a preço de farinha, o controle da então Cepisa – Centrais Elétrica do Piauí S.A.

 




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 99942-2747 - (86) 3222-5832 - (86) 99520-1308, ou pelos E-mais:
vilsonsanttos@bol.com.br
nilson_1@hotmail.com