Últimas
  Jogos da seleção mascara todos problemas do país de picaretas // Bagunçado // Delegado diz que roubo foi arquitetado por alguém da Igreja do Padre Tony // Quem faltar durante Copa terá salário descontado // Ladrões roubam a grana da Caminhada da Fraternidade //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
 
Seguranças do governador não recebem há 3 meses

Segurança do filho de Wellington Dias assassinado em serviço

Os policiais militares e civis que fazem a segurança pessoal do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), estão reclamando que não recebem suas gratificações há mais de três meses e não sabem mais a quem pedir a atualização do pagamento. Decepcionados com a atitude, os seguranças mantêm-se envergonhados até de se aproximar do governador para não parecer cobrança.

A Secretaria da Segurança Pública e a Delegacia Geral do Piauí, através dos seus titulares, sequer ameaçam uma audiência com Wellington Dias para encontrar uma solução para o caso. Enquanto isso, os seguranças continuam o serviço a todo custo, sem qualquer aceno de Sua Excelência quanto ao pagamento das gratificações de periculosidade.

“Trabalhamos 24 horas por dia para garantir a segurança do governador, custe o que custar, e não podemos fraquejar. Colocamos nossa vida em risco para garantir a segurança do chefe do Executivo. Nós também temos família e obrigações. Contamos com tudo que ganhamos. É uma questão de bom senso”, assegurou um dos seguranças que pediu omissão do nome.

SEGURANÇA ASSASSINADO

No dia 6 de fevereiro de 2015, o policial militar Francisco das Chagas Nunes estava fazendo a segurança do filho de Wellington Dias quando foi assassinado com um tiro na cabeça, na Avenida Raimundo Portella, bairro Ininga. Na época, a imprensa deu toda atenção ao caso, fazendo com que o Estado se empenhasse na ajuda à família do segurança morto.

Passados mais de dois anos do infausto, a família do militar se queixa do abandono do Estado e vive momentos de dificuldade com a perda do militar que era quem supria as dificuldades da família. É o que vale a máxima “bocado comido é bocado esquecido”. No momento, os policiais da segurança pessoal do governador esperam uma resposta alvissareira diante da situação preocupante das finanças do Estado.




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 99942-2747 - (86) 3222-5832 - (86) 99520-1308, ou pelos E-mais:
vilsonsanttos@bol.com.br
nilson_1@hotmail.com